sábado, 21 de setembro de 2013

Encerrado.

O projeto oficinas cartoneras contemplou os últimos quatro municípios que faltavam, no nordeste, Itaetê (BA), Novo Horizonte (BA), João Pessoa (PB) e Sapé (PB). A relação de lugares, das escolas beneficiadas, e todo roteiro está gravado no rastro deste blog. 

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

E. M. E. I. E. F. Orlando Soares de Oliveira, em Sapé, Paraíba.

Projeto Oficinas cartoneras tem por objetivo principal instrumentalizar agentes motivadores de leitura através de fontes alternativas de publicação.


quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Livro publicado pela Katarina Kartonera é mencionado em Pequena Biblioteca para crianças: um guia de leitura para pais e professores.

Está no capítulo "Três contos de Kurt Schwitters: o surrealismo e a proximidade com a infância", por Dirce Waltrick do Amarante, editora Iluminuras, SP, 2013.

Trata-se de Contos Maravilhosos de Kurt Schwitters e Receitas, de Edward lear, tradução Dirce Waltrick do Amarante, publicações Katarina Kartonera, 2011, que formou a bibliografia básica durante esta aventura Oficinas cartoneras edital Biblioteca Nacional / Funarte de Circulação Literária, 2012.




Diz autora prefácio, “meu objetivo, aqui, é ampliar e diversificar o universo literário dos adultos, pois são eles que, na maioria das vezes escolhem os livros que as crianças lerão (…). Essa preocupação com repertório de literatura menos óbvia não significa de minha parte dar costas aos autores clássicos, mas me levou destacar neste livro obras hoje menos conhecidas”.

Dirce Waltrick do Amarante é tradutora, ensaísta e professora na Universidade Federal de Santa Catarina. 

Pesquisadora e escritora de muita qualidade, já finalista prêmio Jabuti, traz agora à tona livros, autores e temas relevantes que foram deixados pelo caminho. Igualmente descobre escritores contemporâneos e atualiza a discussão a cerca da literatura infantojuvenil. Trata-se dum cardápio novo, riquíssimo.

Vale a pena!

domingo, 15 de setembro de 2013

Enviado relatório parcial de Oficinas cartoneras à Fundação Biblioteca Nacional.



Este projeto foi selecionado pela Bolsa Biblioteca Nacional / Funarte de Circulação Literária.



 Incentivo à leitura e letramento. 

Pela democratização da literatura e do objeto livro.


Eis as escolas beneficiadas até presente momento:

1. Escola Básica Municipal 25 de Maio (Ensino Fundamental)
Diretora: Adriana Aparecida Bullé
Endereço: Assentamento 25 de Maio 
Território da cidadania da região do Meio Oeste Contestado
Abelardo Luz – SC.

2. Escola Básica Municipal José Maria (Ensino Fundamental)
Diretora: Franciele Fabris
Endereço: Assentamento José Maria
Território da cidadania da região do Meio Oeste Contestado
Abelardo Luz – SC.

3. Centro de Educação Infantil Pequeno Príncipe
Diretora: Ivonete Maciel
Endereço: Avenida Castelo Branco, 428
Território da cidadania da região do Meio Oeste Contestado
Abelardo Luz – SC.

4. Escola Básica Municipal Romildo Menegatti (Ensino Fundamental)
Diretora: Marciane Maciel
Endereço: Avenida Getúlio Vargas, 570
Território da cidadania da região do Meio Oeste Contestado
Abelardo Luz – SC.

5. Centro Educacional de Novo Horizonte (Ensino Fundamental)
Diretora: Noeumi Oliveira
Endereço: Avenida Hermínio José dos Santos, 17
Território da cidadania da região da Chapada Diamantina
Novo Horizonte – BA.

6. Escola Padre Maciel (Ensino Fundamental)
Diretora: Leila de Sá e Matos Menezes
Endereço: Vila dos Remédios
Território da cidadania da região da Chapada Diamantina
Novo Horizonte – BA.

7. Escola Municipal Brejo Luiz de Brito (Ensino Fundamental)
Diretor:
Endereço: Brejo Luiza de Brito, rua 7 de Setembro S/N
Território da cidadania da região da Chapada Diamantina
Novo Horizonte – BA.

8. Escola Municipal Paulo Freire (Ensino Fundamental)
Diretor: Joaquim Brandão de Souza
Endereço: Olhos D’água de Serafim
Território da cidadania da região da Chapada Diamantina
Novo Horizonte – BA.

9. Escola Municipal Alfredo Pereira Silva (Ensino Fundamental)
Diretor: Norma Ribeiro da Silva
Endereço: centro
Território da cidadania da região da Chapada Diamantina
Itaetê – BA.

10. Centro de Educação Municipal Edésio Vasconcelos de São Leão (Ensino Fundamental)
Diretor: Eunívea Nascimento dos Santos Gondim
Endereço: Avenida Rio Branco, S/N ─ Centro
Território da cidadania da região da Chapada Diamantina
Itaetê – BA.

11. Escola Municipal Horácio Matos (Ensino Fundamental)
Diretor: Maiza Santos de Souza Pinheiro
Endereço: Povoado de Colônia
Território da cidadania da região da Chapada Diamantina
Itaetê – BA.

12. Escolas Municipais Eraldo Tinôco & Magalhães Neto (Ensino Fundamental)
Diretor:
Endereço: Povoado de Rumo
Território da cidadania da região da Chapada Diamantina
Itaetê – BA.
  
78 alunos em Abelardo Luz / SC
44 alunos em Novo Horizonte / BA
62 alunos em Itaetê / BA

Total: 184 participantes 

Exemplares, editados e confeccionados pelos monitorados, encaminhados à FBN

ALUNOS 6º e 9º Centro de Educação Municipal Flávio José de Oliveira. Aline Santos Lopes, et al (orgsª.). Poemas, memória e crônica da Chapada. Itaetê / BA. Oficinas cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, 2013.

ARRUDA, Janete Aparecida de (orgª.). Beto e Rosa: Na valorização da agricultura familiar. Escola José Maria; Abelardo Luz (SC), Meio Oeste do Contestado, Oficinas cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, 2013.

BASTOS, Lorena. Traumas e recordações. Itaetê / BA. Oficinas cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, 2013.

BOROWICC, Roseli (orgª.). Coletânea de Fábulas, alunos da 8ª séries de 2012. Escola Básica José Maria, em Abelardo Luz (SC), Meio Oeste do Contestado, Oficinas cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, 2013. 

DOURADO, Leticia da Silva. Memórias Literárias. Novo Horizonte BA, Oficinas cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, 2013.

JESUS, Natália Silva. Rio Grande. Itaetê / BA. Oficinas cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, 2013.

PINHEIRO, Manoela. Lugar de EncantoItaetê – BA. Oficinas cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, 2013.

PIRES, Edileusa Maria da Silva (orgª.). Eis o remédio  Produto coletivo 8º ano da Escola Padre Maciel. Novo Horizonte (BA), Oficinas cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, 2013.

SILVA, Fernanda Duarte (orgª.). História e músicas dos nossos mascotes; C. E. I. Pequeno Príncipe; Abelardo Luz (SC), Meio Oeste do Contestado, Oficinas cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, 2013. 













sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Inhauá, post-vanguarda-selvagem.


Grand final Oficinas cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, na 

Escola Municipal de Educação Infantil Luiz José Gonçalo, Sítio de Inhauá, Sapé (PB).



É pouco entender ou não entender. 



quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Incentivo à leitura.

Oficinas cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, na Escola Municipal de Educação Infantil Luiz José Gonçalo, Sítio de Inhauá, Sapé (PB).


Diretora: Ana Maria Almeida Rodrigues



sábado, 7 de setembro de 2013

Secretaria de Educação Municipal de Sapé (PB) recebe Oficinas cartoneras.


A carta despachada hoje, 13 / 07 /13, ratifica oficialmente acordo firmado, em reunião, dia 7 de setembro de 2013.

Parabenizo pela disposição ao Senhor Secretário Municipal de Educação de Sapé (PB), Kildare Freitas.

Igualmente agradeço a Jairo Cézar Soares, coordenador do Projeto PILLE (Projeto de Incentivo à Leitura na Escola), em curso nesta secretaria, pela intermediação e parceria.


Para fazer a diferença.

Sempre fui militante. Agora agradeço imensamente pela oportunidade de compartilhar  literatura e oficinas cartonares num lugar com equipe debruçada sobre projeto de democratização do ensino, com escolas sendo revitalizadas, incluso acesso às bibliotecas, e sobretudo valorizando as pessoas. Isto acontece na cidade de Sapé (PB). Início imediato.

Trata-se da última cidade selecionada pelo projeto oficinas cartoneras (edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária). E fecharemos com chave de ouro.





Augusto dos Anjos, Eu, Kildare André Lima de Freitas  (secretário municipal de educação), Ewerton da Silva Santos (chefe do gabinete), acompanhados do professor e músico Romoaldo Batista e o professor João Neto, firmando compromisso para ações de parceria. 

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

contato entre oficinas cartoneras, secretaria estadual de cultura da paraíba e Fundação Espaço Cultural da Paraíba

De mão dadas com Chico César, músico e Secretário de cultura do Estado da Paraíba, o professor Jairo César e todos aqueles que dançavam roda de ciranda, sob cantigas de Vó Mera, durante posse do poeta Lau Siqueira ao cargo de presidente da Fundação Espaço Cultural da Paraíba, Funesc. 



sábado, 31 de agosto de 2013

Escola Estadual Dona Alice Carneiro, em João Pessoa (PB).

Diretor Francisco Justino se esforça e abre as portas para realização das oficinas cartoneras, e  mostra biblioteca totalmente  constituída de livros doados. Falta apoio.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Parceria, compromisso e seriedade entre projetos, Oficinas cartoneras e escola sustentável.

Dia de publicações independentes por professores da Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. João Navarro Filho, em João Pessoa (PB).



Louvável atitude da escola, sob orientação da Diretora Maria dos Remédios, organizando para dia 28 de agosto, 2013, a I Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

De repente, depois da tempestade vem a bonança.


Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. João Navarro Filho foi a primeira instituição 

de ensino, em João Pessoa (PB), a receber oficinas cartoneras.




Interação, contato e convivência. Valeu a pena. 10.




sábado, 24 de agosto de 2013

Bem-aventurados são aqueles que não desistem nunca.

Acontecimento. Por força da inteligência e da boa fé da Secretaria de Estado de Educação da Paraíba, Márcia de Figueiredo de Lucena Lira, acompanhada da Assessora Pedagógica Jerusa Andrade e de Wleica Honorato Aragão Quirino, Gerente da 1ª GRE, Oficinas cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, foi confirmado no referido Estado. 


Lembro que tal projeto havia sido preterido pela gestão municipal deste lugar. Agradeço profundamente, com nota de louvor, pela ótima recepção dada pelos representantes estaduais.

Igualmente jamais esqueceria de agradecer a todos amigos que enviaram mensagens de força. Obrigado, e avante!






Foram estas as escolas selecionadas:

EEEFM Raul Machado 

Endereço - Rua Francisco MArtins de Oliveira , S/N - Ilha do Bispo

Diretor Lupercio Daniel 


EEEFM Comp. Luiz Ramalho

Endereço - R-Alfredo Ferreira da Rocha, s/n - Mangabeira

Diretora Gorete Costa 


EEEFM Dona Alice Carneiro

Endereço - Av. Sapé, 22 - Manaira

Diretor Francisco Justino 


EEEF Drº João Navarro Filho 

Endereço R-Dr. Paulo Soares, 35 Qd. 286  L.35 Valentina 

Diretora Maria dos Remedios 


Desde Paraíba,


Evandro Rodrigues

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

João Pessoa (PB) é única capital brasileira que ainda não possui biblioteca pública municipal.

Evandro Rodrigues entrevista Marcos Rodrigues, presidente da Associação dos Bibliotecários de João Pessoa (PB). A entrevista está incompleta, em vídeo. Pois, o entrevistado acrescenta ainda, "em João Pessoa não há museu e nem arquivo municipal". Absurdo. 



Trata-se da terceira cidade mais antiga do Brasil, 1585.

Vale lembrar ainda que na cidade citada viveram grandes escritores, como Augusto dos Anjos, Ariano Suassuna, entre outros.






Como incentivar as novas gerações à leitura? Como preservar a história duma comunidade sem registros? O Brasil nega sua própria trajetória, porque disputa economicamente para estar entre as maiores potências mundiais e reserva a condição de ser um país muito atrasado em termos de educação e valorização da cultura. Ocupa 88º lugar no ranking mundial da educação, dados do relatório da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). E neste Brasil do faz de conta, corrupção, das impunidades, quem paga o preço alto é a população contribuinte, as pessoas que necessitam de serviços públicos e de qualidade. Os índices são alarmantes. É fato. Não temos escolas de gestores para o presente nem dum futuro próximo. Falta sinceridade e compromisso. No mundo pós-industrial o dinheiro é a única regra que permeia as ações. Lei da vantagem, do efêmero e descartável. Os atos de humanismo precisam voltar ao debate, defendendo o pensamento ecológico. A nova geração pede. Vimos isso recentemente com o movimento passe-livre, tomando conta das ruas do país. Tanto nos centros urbanos quanto nos campos, vivemos abarrotadas de lixo e criminalidade. A vida perde valor. O capitalismo especula e produz novas técnicas de dominação, se superando sempre nas dificuldades. Já as pessoas são ludibriadas e bestializadas cada vez mais, arrastadas completamente para fora do direito de ser e escolher como melhor viver. Sem delongas, faça sua parte, ajude, colabore, participe.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Literatura e política.

Cancelado oficinas cartoneras em João Pessoa (PB), através da Secretaria Municipal de Educação.

  


Nota triste. Lamentável. Após, inúmeras tentativas, e-mails, telefonemas, conversas presenciais, digo que Oficinas Cartoneras, edital Biblioteca Nacional / Funarte de circulação literária, foi  desconsiderado pela referida instituição.

O responsável pela secretaria municipal de educação, Luiz de Sousa Júnior, sequer respondeu aos apelos, e seus subordinados titubeiam. Fato inadmissível com a seriedade do projeto.

Cumpro dizer que o caso é frustrante. Pois, ao elaborar o referido projeto previa tal dificuldade, mas a vontade em ajudar, ser parceiro, era maior.

Todavia, há em Oficinas um propósito forte, que busca resultado, com cronograma e orçamento a ser respeitado.


Peço desculpas à comunidade de educadores da rede municipal de João Pessoa (PB), mas o limite de tolerância com tal administração chega ao fim.


Fica ainda última tentativa, para ficar nesta cidade, com Secretaria de Estado de Educação. As tratativas foram encaminhadas, todavia aguardo, para breve, resposta definitiva.

Os novos pretendentes, assim que selecionados, serão lançados neste blog.


quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Literatura e música

Jackson do Pandeiro (1919 / 1982), da Paraíba para o Brasil, para o mundo.




Augusto dos Anjos

O poeta Augusto dos Anjos, paraibano, viveu fase entre parnasianismo e simbolismo. Escreveu apenas um livro, EU. Para alguns, tratava-se dum pré-modernista. Conhecido como "poeta da morte", está imortalizado como grau máximo da escrita literária. Foi influente entre seus contemporâneos, como amigos José Américo e Olavo Bilac, e outros.



Fotos retiradas no Memorial Augusto dos Anjos, anexo da APL / Academia Paraibana de Letras.



Formou-se em direito em Recife. "Em 1914, transfere-se para Minas Gerais, por causa de uma nomeação como diretor do Grupo Escolar de Leopoldina, a qual conseguiu com ajuda de um cunhado. Após alguns meses da mudança, o poeta morre aos 12 de novembro do mesmo ano, vitimado por pneumonia."

http://www.brasilescola.com/literatura/augusto-dos-anjos-1.htm

Enquanto isso...

Literatura e Memória.

João Pessoa, capital do Estado da Paraíba, foi fundada em 1585, e como cidade, a terceira mais antiga do Brasil. O Palácio da Redenção, atual sede do Governo, teve sua construção iniciada em 1586, com ajuda de esmolas, por escravos e índios, e serviu para abrigar os primeiros missionários jesuítas. No dia 03.09. 1759, por alvará desta data, são confiscados os bens dos missionários, e estes expulsos de "todo Reino de Portugal".  Já "em 1773 o Governador da Capitania, o Ouvidor-Geral, José Eduardo de Carvalho, passou a residir no Convento dos Jesuítas, porque obteve permissão do Papa Clemente XIV para utilizar a residência dos padres da companhia como também incorporá-la á Fazenda Pública."  A partir de então o lugar serve de residência para governadores, entre outros, o pai do escritor Ariano Suassuna, Sr. João Suassuna (1924 /1928), e João Pessoa (1928 / 1930). Este último, após não aceitar a candidatura de Júlio Prestes para a Presidência da República, disse, "Négo". Repito, "Négo".


Fonte bibliográfica: Gabinete Civil do Governador


"Nas eleições de 1930, os estados de Minas Gerais e Rio Grande do Sul formaram a Aliança Liberal e lançaram Getúlio como candidato à Presidência do Brasil. Vargas perdeu a eleição para Júlio Prestes. Sabendo disso políticos e tenentes armam um golpe militar para depor o presidente Washington Luís e evitar que Júlio Prestes suba à Presidência, dizendo que a eleição foi fraudada e que os dois estavam envolvidos na morte de João Pessoa. Em novembro do mesmo ano Vargas subiu à Presidência."

http://www.colband.com.br/ativ/nete/cida/linh/linha2000/2bim/2h3/02biogetulio.htm


Pintura exposta na APL / Academia Paraibana de Letras

sábado, 10 de agosto de 2013

Projeto de Intervenção de Monitores de Biblioteca - “Doe um livro e Incentive um adolescente ler”

Projeto da Escola Municipal Carlos Santana, cidade de Itaetê (BA). 


Diz Otávio Paz: "a imagem é o 'más allá' da palavra". Logo abaixo Berenice Santos de Freitas – Coordenadora Pedagógica, Escola Municipal Carlos Santana, expõe o acervo de livros que a referida instituição dispõe para incentivar o hábito da leitura para cerca de 650 alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental.


Oficinas cartoneras compartilha desta luta e clama ao amigo(a) a se sensibilizar e ajudar. Doe um livro infanto-juvenil, para este endereço:

Escola Municipal Carlos Santana
Praça Gustavo Snooker, s/nº  - Centro
Itaetê - Bahia   CEP: 46790-000

Obs.  Outras escolas deste  município, visitadas por Oficinas, encontram-se com tal precariedade livresca.Toda ajuda será bem-vinda.

Itaetê  significa, em guarani, pedra dura. Mas nada foi mais duríssimo que se deparar com esta situação e saber que sequer possui no município uma única livraria. 





Vide Projeto da Escola Carlos Santana






Ironia, ou resistência?

A Escola Carlos Santana já objete dois alunos finalistas em olimpíadas da língua portuguesas. Entre eles, Natália Silva de Jesus, em 2012, foi premiada como semifinalista no gênero Memórias da 2ª edição Olimpíada de Língua Portuguesa – Escrevendo o futuro, concurso de produção de texto por alunos do 5º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, promovido pelo Programa Escrevendo o Futuro – MEC, disse Berenice Freitas, que igualmente participou de Oficinas cartoneras, atuando no curso como editor (a) responsável, e capista, publicando este texto premiado, RIO GRANDEnum formato cartonero.



Sobre a autora: Natália Silva de Jesus, 14 anos de idade (2012), estudante, 8 º ano D, da Escola Municipal Carlos Santana, Itaetê (BA).

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Centro de Educação Municipal Edésio Vasconcelos de São Leão, Itaetê (BA).

Temperatura média: 36º a 40º, sensação 50º de calor Humano.













RECILCE


Escola Municipal Alfredo Pereira, cidade de Itaetê (BA)

a caminho duma escola...















Destaque para RIO GRANDE, por Natália Silva de Jesus

O texto em questão é da autoria de Natália Silva de Jesus, 14 anos de idade (2012), estudante, 8 º ano D, da Escola Municipal Carlos Santana, Itaetê (BA).

Natália Silva de Jesus, em 2012, foi premiada como semifinalista no gênero Memórias da 2ª edição Olimpíada de Língua Portuguesa – Escrevendo o futuro, concurso de produção de texto por alunos do 5º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, promovido pelo Programa Escrevendo o Futuro – MEC", disse Freitas, professora que participou de Oficinas cartoneras, atuando igualmente agora como editor (a) responsável, e capista, desta publicação, num formato cartonero.